Avaliações externas, quais são e para o que servem?

//Avaliações externas, quais são e para o que servem?

As avaliações externas são de grande valia para todo o ambiente escolar. Os alunos principalmente, assim eles podem ser avaliados de forma diferenciada das atividades cotidianas aplicadas na escola. Este tipo de avaliação também proporciona aos professores um padrão geral e unificado de outros municípios. Podendo assim realizar comparações e identificar necessidades.

Elas são indispensáveis para coletar dados e passá-los em reuniões coletivas com a equipe escolar observando pontos importantes como:

  • Discutir sobre as falhas técnicas que ainda persistem;
  • Criar e desenvolver novas metodológicas;

Visualizar resultados positivos sem dúvidas tornam professores mais motivados. Os incentiva a ensinar com visões inovadoras e se propondo cada vez mais atingir os objetivos.

Conheça agora um pouco mais sobre as principais avaliações externas:  

  • Prova Brasil

A Prova Brasil é o nome dado a Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (ANRESC), é uma avaliação para diagnóstico em larga escala, desenvolvida pelo Instituto Nacional de Estudo e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC).

O principal objetivo da Prova Brasil é avaliar a qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro. São utilizados testes padronizados e questionários socioeconômicos aplicados aos docentes, diretores e professores. Participam da Prova Brasil alunos de 5°, 9° anos e dos anos finais do Ensino Médio das escolas públicas respondendo a questões de português e matemática.

Para os anos finais do Ensino Médio de escolas particulares são permitidos apenas por amostragem. A Prova Brasil foi aplicada pela primeira vez em 2005 e desde então é aplicada de 2 em 2 anos sempre em anos ímpares.

  • SPAECE

O Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará foi criado em 1992 pela Secretaria da Educação com o objetivo de promover um ensino de qualidade e equânime para todos os alunos da rede pública de ensino.

O conjunto de informações colhidas pelo SPAECE permite diagnosticar a qualidade da educação pública do Ceará produzindo resultados por aluno, turma, escola, município, creches e para o estado como um todo.

Saber analisar os resultados desta avaliação e usá-los como base para implementação de políticas públicas educacionais e de práticas pedagógicas inovadoras nas escolas estaduais e municipais é um grande desafio para professores, gestores de escolas e gestores da rede.

Para leitura e análise dos resultados da avaliação externa, os envolvidos devem conhecer os elementos que a compõe, como a:

  • Matriz de referência;
  • Itens;
  • Escala de proficiência e as metodologias que as sustentam;
  • A TRI (Teoria de Resposta ao Item);
  • TCL (Teoria Clássica dos Testes).

A Matriz de referência é o elemento orientador para elaboração dos itens dos testes padronizados.

A avaliação externa se distingue da avaliação interna por medir o conhecimento através da resolução de tarefas. Elas são apresentadas em forma de itens que avaliam uma única habilidade e possui uma estrutura própria, composta por:

  • Enunciado;
  • Texto base;
  • Comando ou alternativas de resposta;
  • Gabarito;
  • Distratores.

Os dados do SPAECE auxiliam no colhimento de informações importantes e necessárias para o planejamento de ações em níveis de gestão e unidade escolar.

Refletir sobre eles contribuem de forma significativa para construção da aprendizagem e melhora do sistema educacional.

  • SAEB

O Sistema de Educação da Avaliação Básica (SAEB) é um conjunto de provas diagnósticas que têm como propósito analisar a educação básica no país.

Em 2019 as siglas ANA, Aneb e Anresc deixarão de existir, e a avaliação diagnóstica é conhecida apenas como SAEB.

Ocorreram 5 principais mudanças no SAEB em 2019 e a primeira mudança é o fim desta série de siglas:

  1. O SAEB será identificado por cada uma das etapas de ensino avaliadas reforçando as sua identidade enquanto o sistema que avalia as etapas da educação básica.
  2. Inclusão da educação infantil dentro das etapas avaliadas como forma de abranger todo o percurso regular da educação básica. A avaliação da educação infantil não significa a aplicação de testes às crianças da creche para a escola, e sim a avaliação das condições de acesso das instituições infantis.
  3. Alteração da etapa de referência para a avaliação de alfabetização do terceiro para o segundo ano do ensino médio fundamental com a implantação de matrizes nesta fase.
  4. Implementação das áreas de ciências da natureza, ciências humanas e escopo dos testes do 9° ano do ensino fundamental.
  5. O INEP vai aprofundar dimensões da qualidade educacional que extrapolam os testes cognitivos, isto irá permitir um estudo de fatores associados e a construção de novos indicadores de qualidade da educação básica.

 

Saiba mais: Diagnóstico dos alunos

 

Essas avaliações devem ser utilizadas como um parâmetro para mensurar o desempenho dos alunos nos testes internos com relação às avaliações externas. O mais importante é que elas refletem um resultado global da educação brasileira. Conhecer a fundo sobre o processo destes testes e contar com o auxílio e presença da família a fim de identificar e sanar as dificuldades dos alunos é de suma importância e um grande diferencial trazer a comunidade para dentro da escola.

By |2019-08-12T12:07:30-03:00agosto 12th, 2019|Avaliação|0 Comments